quarta-feira, 17 de agosto de 2016

"A Melodia da Minha Alma" promete ser uma injecção forte de emoções para o leitor, descobre a mulher por detrás das palavras | Joana Brito

Joana Brito, Julho 2016
Letícia Brito ©

Joana Brito tem 30 anos, prepara agora a sua primeira obra A Melodia da Minha Alma, cujo lançamento está para breve. Concluiu o 12º ano em Económico-Social, e à parte ainda realizou outros cursos. É uma jovem pacense que reside atualmente na Costa do Marfim com o marido e a filha. 
Mãe a tempo inteiro, esposa dedicada, cuida da casa e tem pela escrita uma grande paixão. 
Joana gosta de ouvir música e gosta de cantar, embora me tenha revelado que a voz não é tão dotada quanto a criatividade que lhe inunda as veias. Afirma que de todos os passatempos que possuí, tal como ler e manter-se atualizada sobre o mundo, a escrita é o seu preferido. Um refúgio e uma diversão, assim descreveria a escrita na sua vida. Joana gosta de estar entre a família e os amigos, gosta de assistir séries e filmes e ir ao cinema. 
Nutre um carinho especial pela arte dos doces, gosta de prepará-los, decorá-los e especializou-se em diversos cursos de Cake Design.
À parte de tudo isto, o gosto por apresentar esta escritora no meu blogue, é ainda maior, tendo em conta os laços de sangue que nos unem. Uma das suas respostas surpreendeu-me e hoje partilho convosco a entrevista que lhe realizei.

✍ Como te iniciaste na escrita?
Desde miúda que escrevo, desde a escola onde escrevia cartas para as minhas amigas e fazia aqueles versos que hoje ao ler me arrancam sorrisos simples.
Escrever para mim foi sempre uma forma de me expressar, um refúgio.
Já escrevi para um Jornal concelhio Tribuna Pacense, desde cartas a artigos de opinião.
Não sei de onde surgiu esta paixão, só sei que desde que me lembro adoro escrever, brincar com as palavras.

✍ Ficcionas aquilo que escreves ou os teus escritos tem também conotação pessoal? 
Os meus textos têm de tudo, desde ficção à realidade vivida por mim. Uns são puros outros levam uma boa dose de devaneios.

✍ O que é que a escrita mudou em ti, enquanto pessoa?
Sou uma pessoa simples, que acredita no verdadeiro amor e no poder do amor na minha vida. Sonhar é algo que a escrita me provou ser maravilhoso, porque posso passar todos os sonhos para um papel e fazer deles o que realmente queria.
Escrever mostrou-me o que o melhor da vida não tem preço.
Sou dedicada e apaixonada, muito emotiva. Acho que escrever faz sobressair esse meu lado. Sou uma pessoa de fé e mesmo que a vida me ponha à prova eu nunca desisto pois acredito sempre num amanhã melhor.

✍ O que sentes quando escreves?
Quando escrevo sinto liberdade, posso ser eu sem ser. Posso fazer do mundo, da vida e dos sentimentos aquilo que quero e acho que não existe nada melhor do que fazeres algo que te oferece tamanha sensação de liberdade.

✍ O que é mais prazeroso na escrita?
Na escrita tudo é prazeroso, escrever dá-te uma infinidade de sentimentos, dá-te o poder de amassar o papel quando algo não está do jeito que querias, dá-te o poder de inventar, de exprimir a tua dor ou felicidade. Escrever é vida.

✍ Qual é a maior dificuldade que sentes quando estás a escrever?
A maior dificuldade é quando tentas escrever e não consegues dar sentido às palavras. Acho que para qualquer escritor o bloqueio é algo de muito triste.

✍ Tens algum ritual de escrita?
Ando sempre com papel e caneta para poder passar para o papel algo que surja do nada. Para mim isso é essencial.

✍ Consideras a escrita uma necessidade ou um passatempo?
Para mim escrever é conjugar as duas coisas. Sinto naturalmente uma enorme vontade de escrever e prazer ao fazê-lo.

✍ Como encaras o processo de edição em Portugal?
Não considero fácil, deveria haver mais ajuda para os escritores, não acho que escrever um livro em Portugal seja valorizado e apoiado como deveria.

✍ Em breve estarás em constante contacto com o público, como achas que viverás isso?
Acho que lidarei de forma muito natural, simples. Ao princípio talvez não seja fácil pois não estou habituada a isto mas penso que será muito especial e prazeroso e será uma forma de me enriquecer como pessoa.

✍ O feedback é positivo?
Penso que sim. Considero que tenho tido sorte. Agradeço a todos que gostam do que escrevo e todas as suas mensagens. Significam muito para mim, pois conseguir transmitir o que escrevo e ser tão bem recebido não tem preço.

✍ Como encaras as criticas, de foro negativo ou positivo, quando elas surgem? 
De uma maneira em geral encaro bem, pois tanto as boas quanto as más significam que de alguma forma toquei o coração daqueles que seguem o que escrevo. E isso é o que realmente importa.

✍ Quais os temas que gostas de abordar quando escreves?
Abordo um pouco de tudo mas tenho tendência para escrever sobre o amor pois é o sentimento que me move.

✍ Tens hábitos de leitura? Consideras importante ler para escrever bem?
Tenho. Mas acho que deveria ler mais. Acho que ambas as coisas estão interligadas, mas sempre podem ser feitas em separado.

✍ Que livro recomendarias?
“O Segredo”, pois é simples e de fácil leitura e ainda funciona como um livro de auto-ajuda, para mim foi muito bom.

✍ Se só pudesses ler apenas um único livro para o resto da tua vida, qual seria o “privilegiado”?
Nos Braços do Vagabundo de Letícia Brito, porque identifico-me com a história e acima de tudo pelo facto de abordar temas que para mim são especiais como o amor e a depressão. Além do mais é um excelente romance que terão o privilégio de ler.

A Melodia da Minha Alma, Joana Brito
Chiado Editora
✍ O que gostarias de partilhar sobre a tua primeira obra?
Já partilhei, a capa pois ela é o meu primeiro bebé, quando a vi pela primeira vez meu coração disparou, foi muito bom ver um sonho nascer e dar os seus primeiros passo. Espero que gostem tal como eu.

✍ Como tem sido a tua experiência com a tua editora?
Tem sido boa, é novidade para mim e quero tudo perfeito e temos trabalhado em conjunto para que isso seja possível e até agora tudo muito bem.

✍ Quais as tuas perspectivas para o futuro?
Eu penso muito no futuro, às vezes acho que um pouco de mais, mas faz parte da vida sonhar e planear o futuro, se assim não fosse qual seria o sentido da nossa caminhada cá. Espero apenas ter saúde e estar com a minha família, rodeados de muito amor e quem sabe a ler o meu livro aos meus netinhos, claro que ainda falta muito e até lá espero quem sabe encher a estante da sala com mais do que um exemplar dos meus. Sonhar faz bem.

✍ Além da escrita, que outras paixões nutres, que te completam enquanto pessoa?
Adoro fazer bolos, já fiz vários workshops e é uma grande paixão. Adoro embelezar as mesas e dar-lhes sabor. Quem sabe um dia terei a minha lojinha de bolos também.

✍ Que mensagem gostarias de passar aos teus seguidores?
Que nunca desistam, pode estar difícil e tudo pode parecer não ter solução, mas nunca percam a fé e a esperança. Não se cansem de dar amor pois ele é a base de tudo. E claro como sempre digo, Sejam Felizes.

✍ Quais os teus objetivos enquanto escritora?
Por agora quero que este primeiro dê certo, que toque no coração de quem o ler, quero que sintam como se fosse parte de vós. E claro, já penso noutro, mas acho que faz parte da veia de escritora, sempre com a caneta e o papel na mão e uma mente cheia ideias para passar para o papel. Espero que gostem.

✍ Apenas numa palavra, descreve-te: 
Sonhadora!

O que dizem sobre o livro...

A Melodia da Minha Alma leva-nos numa escrita de puros sentimentos. Cada palavra é sinónima de sensações vividas na flor da pele pela escritora. Escrever é muito mais que desenhar símbolos. É transportar cruamente aquilo que somos, vemos e sentimos de forma harmoniosa. Joana Brito faz isso de forma espetacular.
- André Alves Pereira, autor da obra Simplesmente, Esperança

Uma escrita muito intimista, muito cheia de amor, muita sensibilidade que nos leva a lugares recônditos e idílicos onde muitos de nós não estivemos mas que gostaríamos muito de ter estado. Falamos de um amor maior correspondido onde sempre que a distância os afasta esse amor é ainda maior e mais intenso.
Uma escrita leve, repleta de emoção que nos faz acreditar que o amor existe e é possível.
Nos dias que correm, onde o individualismo e o narcisismo são uma constante depararmo-nos com um amor assim é uma bênção.
Parabéns Joana Brito por nos brindar com esta obra que para além de enriquecer a nossa literatura, nos abre novos horizontes.
- Maria Israel, autora d'A Redenção de Guadalest

A Melodia da Minha Alma não é apenas mais um livro... é uma narrativa comovente, composta por diversos poemas que retratam vivências pelas quais muitos de nós já passamos, ou quem sabe, passaremos.
É um livro profundo, cativante, mas sobretudo muito realista.
Um livro que me fez chorar, sorrir, pensar, sonhar... que me fez recordar o passado, lidar com o presente e encarar o futuro.
Não se tratam apenas de poemas, pois a autora à sua maneira, promove ensinamentos, para que possamos "aprender" a lidar com várias situações na vida. Com vitórias e adversidades, com alegrias, com perdas e conquistas... e muito mais...
Recomendo vivamente esta obra!
- Ana de Carvalho, autora d'O destino assim o quis e Sete dias - sete contos

“É tão simples o meu amor, amo-te porque te amo…” Joana Brito consegue mostrar-nos a essência da vida através do seu infindável carinho e amor. Para ela o amor é o caminho da felicidade mais sublime, com fortes laços que a prendem eternamente à família. Cada recanto deste livro está recheado de sonhos, alegrias, lembranças e esperanças, conseguindo captar a atenção do leitor da primeira à última página.
- Lí Marta, autora de dois romances

A bloguer,
Letícia Brito.

Sem comentários:

Enviar um comentário