quinta-feira, 21 de abril de 2016

Avô

Deveria existir um estatuto de limitação da dor, um manual, ou outra coisa qualquer, que estabelecesse determinado tempo para superar a perda daqueles que amámos. Poderíamos chorar todas as lágrimas durante 1 mês e retomarmos a nossa vida, sem nos voltarmos com o coração acelerado cada vez que abrimos a porta da tua casa, cada vez que caminhamos sobre a oficina onde durante tantos anos te dedicaste a trabalhar para manteres a tua família. Grande. Feliz.

Poderíamos simplesmente desfazer-nos dos móveis empoeirados e guardar as fotografias sem arrepios na espinha. Poderíamos ver um grupo de velhinhos sentados no café do lado a jogar dominó sem recordarmos o quanto tu gostavas de o fazer também, sem um nó na barriga. Poderíamos. Mas é impossível.

Obrigam-nos a estudar até ao 12º ano, ensinaram-nos o Teorema de Pitágoras e o valor de X, mas nunca nos ensinaram a resolver o grande problema que é a saudade. A tua filha mais nova diz que cada um dá o que tem; eu tenho dado saudade. Na ânsia de que aqueles que me amam aprendam a lidar com ela e talvez descubram como ensinar-me a lidar também.



Não há um único dia em que não acorde e veja os teus lindos olhos sorrirem, a mãe resmunga quando descobre que a tua fotografia está amassada entre os lençóis porque me senti mais protegida quando te juntei ao meu peito na hora de dormir. Ela nem desconfia que quando ando a arrumar a casa paro em frente ao teu retrato grande e te conto entre lágrimas e sorrisos como a vida vai por aqui.

Queria que estivesses comigo, queria partilhar contigo as minhas vitórias mas sei que onde quer que agora estejas, estás orgulhoso. As minhas vitórias, são tuas também.

Escrevi só para te dizer que hoje está um dia lindo de sol lá fora, embora as cortinas do meu coração permaneçam fechadas pela saudade que deixaste, mas só por hoje vou abri-las um pouquinho e sorrir-te de volta para esse céu azul onde brilhas.

A vida é tão bonita para ser desperdiçada, aprendi isso desde que foste embora, vou agarrá-la com força porque sei que é isso que esperas daqueles que te amam; que agarrem a vida como tu a agarraste até ao teu último suspiro.

Amo-te. Muito. Para Sempre. ❤

Um dia encontrámos-nos de novo e tu ensinas-me a curar a saudade.

Sem comentários:

Enviar um comentário